A osteopatia é um sistema de avaliação e tratamento que surgiu nos Estados Unidos no século XIX. Criada por Dr. Andrew Taylor Still (1828-1917)  é hoje reconhecida e recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como prática de saúde. A osteopatia enxerga o corpo como um todo e é inteiramente fundamentada na anatomia, fisiologia, semiologia e biomecânica humana. Através de uma avaliação minuciosa, detectamos alterações na mobilidade dos diferentes tecidos do corpo humano e então definimos uma estratégia terapêutica para o alcance dos objetivos almejados.
 
O tratamento consiste, basicamente, na estimulação manual dos tecidos (articulações, músculos, tendões, fáscias, ligamentos, cápsulas, vísceras, tecido nervoso, vascular e linfático), com técnicas específicas. Essas intervenções aumentam a capacidade de recuperação do organismo de forma natural. Tem ação centrada no paciente, ao invés do sistema convencional centrado na doença.