Independente do paciente o caminho para todos é o mesmo: o fortalecimento da musculatura intrínseca da coluna vertebral. A estabilização segmentar, desenvolvida na Austrália, tem o objetivo de fortalecer os músculos profundos da coluna e melhorar o grau de estabilidade vertebral.
 
Os exercícios de estabilização segmentar terapêutica se mostram efetivos na redução da dor e das disfunções da coluna vertebral causadas principalmente por espondilólise e/ou espondilolistese. Essa etapa do tratamento previne os músculos e tendões que fornecem suporte e estabilidade no nível intervertebral para sustentar forças exercidas no dia-a-dia. Através de exercícios isométricos de baixa intensidade que estimulam os músculos profundos do tronco com o intuito de estabilizar a coluna vertebral é possível proteger sua estrutura do desgaste excessivo.
 
Em situações normais, apenas uma pequena quantidade de co-ativação muscular, cerca de 10% da contração máxima, é necessária para a estabilidade. Em um segmento lesado pela frouxidão ligamentar ou pela lesão discal, um pouco mais de co-ativação pode ser necessária.